Conheça os tipos e materiais mais utilizados nas coberturas residenciais

A cobertura residencial é uma das últimas etapas de uma construção, mas deve ser pensada desde o início da obra de uma residência. A importância do telhado se deve primeiramente ao seu papel funcional, além do importante papel estético que desempenha, influenciando nas mais diversas características da edificação. Além de promover proteção contra todas as intempéries climáticas, a cobertura também finaliza o conjunto arquitetônico.

Existem diversos tipos e modelos para as coberturas dos telhados, feitos com os mais variados materiais. Por isso, é muito importante analisar as características de cada um e escolher a melhor opção.

Diversos fatores são importantes na hora de definir o tipo de telhado, que vão desde o acabamento e o conforto térmico até o investimento que se tem disponível. Com essas questões em mente, veja abaixo os diferentes modelos de cobertura mais usados no Brasil:

  • Telhados Cerâmicos

As telhas de cerâmica são feitas em barro e são os modelos mais comuns no Brasil, ficando entre as três mais comuns. Este tipo de telha é encontrado no mercado por diversos formatos e acabamentos.

As telhas de cerâmica mais comuns são: francesa, portuguesa, romana, colonial e plan. A grande vantagem do uso da cerâmica está relacionada ao isolamento térmico, o baixo custo de manutenção que oferece e a facilidade de limpeza. No entanto, a sua instalação necessita de uma estrutura mais resistente devido ao peso, aumentando o valor total da obra.

Outro tipo de telhas cerâmicas são as esmaltadas, que possuem as mesmas formas e propriedades, mas com uma camada de pintura esmaltada que acrescenta cor para o acabamento e maior durabilidade.

  • Telhas de fibrocimento

As telhas de fibrocimento são mais baratas em relação a outros modelos de cobertura e muito utilizadas em todo o Brasil. Elas surgiram para substituir os antigos modelos de amianto, que não são mais comercializados devido ao material oferecer risco à saúde.

As vantagens das telhas de fibrocimento estão relacionadas à economia e à leveza, já que sua instalação não necessita de muito reforço na estrutura e podem ser aplicadas em inclinações mínimas, diminuindo o valor total da obra.

Apesar deste fator, os modelos de fibrocimento não são indicados em qualquer localidade e projeto devido a sua ineficiência térmica, já que ela absorve e transmite calor com muita facilidade, necessitando de uma estrutura de laje para maior conforto.

  • Telhas de concreto

Não tão usuais quanto as telhas de cerâmica, os tipos de concreto ou de cimento vêm ganhando cada vez mais o gosto dos arquitetos. Entre as principais vantagens da proposta utilizando o concreto estão o conforto térmico e a possibilidade da instalação em uma inclinação mais acentuada, oferecendo beleza ao projeto.

Este tipo de telha facilita a limpeza e é ideal para locais arborizados. Mas, atenção: a telha de concreto é mais pesada do que a de cerâmica. Por isso, a estrutura precisa ser ainda mais resistente, encarecendo o projeto.

  • Telhas galvanizadas

Essas telhas são bastante utilizadas em galpões com grandes vãos. Devido à leveza e durabilidade que proporcionam, as telhas galvanizadas são confeccionadas em aço e revestidas por uma mistura de zinco e alumínio, que impede a corrosão. É, atualmente, comercializada na cor natural (prata) ou pintada de branco.

As principais desvantagens das telhas galvanizadas são a fraca capacidade de isolamento térmico e o ruído, especialmente durante as chuvas, o que pode ser um desconforto para os moradores do imóvel.

Confira os tipos de coberturas mais comuns no mercado:

  • Telhado aparente: muito versátil, o telhado aparente é usado em diferentes tipos de projetos, desde os tradicionais até os mais modernos. Geralmente, as telhas fazem parte da fachada da casa, por isso são escolhidos materiais com um bom acabamento, a exemplo, em cerâmica.
  • Uma água: entre os telhados aparentes, o telhado “uma água” é o de custo mais acessível, por isso, muito usado em residências de pequeno porte, edículas e áreas gourmet externas. A cobertura possui uma face para o escoamento da chuva, por isso sua estrutura é simples e, geralmente, se apoia sobre o oitão da casa.
  • Duas águas: a cobertura com telhado de duas águas é muito conhecida. Apresenta duas faces de escoamento e pode ser construído de duas maneiras: cangalha, onde o encontro das duas faces é a cumeeira, e americano, em que uma das partes é mais alta que a outra.
  • Três águas ou mais: é uma opção para casas maiores, que precisam de um maior escoamento da água da chuva. Esses telhados tem como característica as cumeeiras e espigões.
  • Telhado embutido ou plano: nesse tipo de cobertura, o telhado não é visível na fachada da casa. Seu acabamento pode ser com telhas ou diretamente na laje. Esse modelo é muito usado em projetos de arquitetura moderna, oferecendo uma aparência mais sofisticada. No entanto, ele exige um cuidado maior na manutenção do que os demais tipos de cobertura.
  • Telhas e telhado embutido: ele recebe esse nome, pois as telhas ficam escondidas por um pequeno muro, o platibanda. Neste tipo de cobertura não é preciso usar telhas com alto padrão de acabamento, pois não ficam visíveis, sendo normalmente usadas telhas de fibrocimento ou telhas metálicas.
  • Laje: nesse modelo de cobertura, a finalização é diretamente na laje, por isso é imprescindível uma mão de obra especializada para executar a impermeabilização apropriada.
  • Terraço: aqui a casa ganha mais um ambiente, geralmente para lazer, onde podem estar presentes elementos como piscina, churrasqueira e área gourmet. Costuma ser finalizado com revestimento de piso como acabamento. O terraço também pode receber uma cobertura quando necessário. Para isso são instaladas coberturas leves como vidro, madeira vazada ou metálica, sem que haja perda da iluminação natural ou o bloqueio da vista da paisagem.
  • Telhado invertido: ou telhado borboleta, esse modelo é uma solução criativa para o design da cobertura. O estilo da inclinação é o contrário dos tradicionais e as quedas levam a água da chuva para uma calha central.
  • Telhado tipo chalé: inspirado na estrutura dos chalés, onde o telhado praticamente encosta na superfície do chão, essa cobertura deixa a residência com um visual charmoso.
  • Telhado de vidro: a principal função desse modelo de telhado é proporcionar a entrada de iluminação natural, além da paisagem que pode ser apreciada a qualquer momento em um espaço coberto e protegido.
  • Telhado curvo: as coberturas curvas são pouco utilizadas em residências, mas ainda assim uma opção a ser considerada para quem busca elegância e complexidade.
  • Telhado verde: esse modelo também está presente nos projetos mais modernos, evidenciando uma maior preocupação com a sustentabilidade e natureza. Além da arquitetura verde, o telhado promove vários benefícios como o controle da umidade e isolamento térmico

Gostou deste texto?

Então fale com a gente e podemos oferecer ainda mais informações sobre o assunto: https://www.santaodila.com.br/contatos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *